Dória anuncia novas regras para o Plano SP

0
74

O Governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (27/07/20) novos critérios para o Plano São Paulo de retomada econômica e enfrentamento ao coronavírus.

Agora, para uma região avançar da fase amarela à verde, o percentual de ocupação de leitos poderá variar entre 75% e 70%, além de permanecer por 28 dias consecutivos na etapa intermediária.

As regras começam a valer a partir da próxima sexta (31/07/20).

“O objetivo é aprimorar o plano para torná-lo mais eficiente e adequado à realidade que vivemos neste momento da pandemia”, afirmou o Governador. “O Plano São Paulo é eficiente exatamente por ser uma ferramenta dinâmica, e não estática, de enfrentamento a pandemia. E por isso é reconhecido pelos mais renomados e respeitados cientistas”, acrescentou Doria.

A recalibragem visa garantir mais estabilidade no ajuste de fases, sobretudo na transição da amarela para a verde.

Com as novas margens de capacidade hospitalar e de evolução da pandemia, as regiões ficam menos sujeitas a alterações de fase no Plano São Paulo sem uma mudança relevante nesses indicadores.

Dentre os critérios anunciados, está a alteração do índice de ocupação de leitos de UTI, que atualmente precisa estar abaixo de 60%, para até 75%.

A medida permite que os municípios liberem leitos de UTI reservados a pacientes graves com coronavírus para outras especialidades médicas que tiveram o atendimento adiado ao longo da pandemia.

Para garantir que a fase verde – a quarta menos restritiva nas cinco etapas do Plano São Paulo – seja alcançada por regiões que estejam caminhando para o controle da epidemia, qualquer Departamento Regional de Saúde (DRS) ou subregião deverá passar 28 dias consecutivos na fase amarela.

Outra atualização é que os indicadores de variação das internações e variação dos óbitos exigirão números absolutos por 100 mil habitantes.

Os novos índices ainda serão aprovados pelos especialistas do Centro de Contingência de coronavírus nesta terça (28/07/20), mas devem ficar abaixo de entre 30 e 40 internações e de três e cinco mortes por 100 mil habitantes.

“Essa calibragem técnica é para promover estabilidade e só fazer transições de fase no momento correto”, declarou a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen. “Esses fatores absolutos são indicadores que têm sido utilizados mundialmente e que, na discussão do Centro de Contingência, insistiu-se nessa ‘trava’ além das quatro semanas”, completou.

 

Queda de 4% no índice de mortes por coronavírus

 

O Governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (27/07/20) que o estado de São Paulo registrou queda de 4% no número de óbitos por coronavírus na semana de 19 a 25 de julho em relação à semana anterior, de 12 a 18 de julho.

“Esses números demonstram as nossas projeções na diminuição gradual do impacto da doença na capital, na Grande São Paulo e no litoral. O aumento no interior, até aqui, está dentro do que foi projetado e, portanto, sob absoluto controle”, disse Doria.

No mesmo período, a diminuição de mortes provocadas pela COVID-19 na capital foi de 27%. Novas internações tiveram queda de 4% na cidade de São Paulo e também de 4% no estado.

No interior, houve aumento de 16% de óbitos na comparação entre as duas semanas.

Por outro lado, o interior do estado registrou, pela primeira vez, queda nas internações, de 2%. “Isso é muito significativo, levando em conta que os óbitos observam o que aconteceu há 15, 20 dias, e as internações refletem o que acontece nesse momento”, afirmou o Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. O índice de letalidade no estado também é o menor já registrado no estado: 4,47%. “Isso significa tanto um aumento na testagem como na qualidade de saúde do estado de São Paulo”, completou o Secretário.

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA