Diadema zera fila para pacientes com distúrbios neurológicos

0
170

O tempo médio entre o encaminhamento da Unidade Básica de Saúde (UBS) e o atendimento no Centro Especializado em Reabilitação (CER) de Diadema para pacientes com sequelas neurológicas passou de quatro meses, em 2015, para menos de 20 dias, em 2019.

Isso foi possível em decorrência do mutirão de triagem da fila de espera e a adequação do número de vagas ofertadas de acordo com a demanda da rede de saúde.

“Hoje, o Centro de Reabilitação permite que o paciente com distúrbios de origem neurológica possa ser atendido de forma multidisciplinar e sem fila de espera. Dessa forma, iniciamos o tratamento o mais rápido possível, permitindo melhores chances de recuperação e menores sequelas”, ressaltou o coordenador do CER, Kalil Zipperer.

Por mês, 400 pessoas recebem atendimento de fisioterapia neurológica, terapia ocupacional, fonoaudiologia, psicologia, serviço social, exames de audiometria e de BERA, além de fornecimento de aparelhos auditivos, órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção como cadeiras de rodas.

Ao chegar ao CER, o morador passa pela triagem multidisciplinar que encaminhará o paciente para os tratamentos necessários dentro da área de reabilitação. “Entre a triagem e o início do tratamento foi bem rápido. Em uma semana, já me ligaram para começar a fisioterapia. Acho isso muito importante”, aprovou a moradora do Jardim Ruyce, Edineide Maria dos Santos, que realiza sessões semanais de fisioterapia para o braço, devido a um acidente vascular cerebral (AVC), e consultas quinzenais com a psicóloga.

A fila começou a diminuir quando o CER realizou o mutirão de triagem, em 2016, para avaliar os pacientes que aguardavam tratamento.

Dos 330 pacientes agendados, 270 compareceram para avaliação.

De lá pra cá, a quantidade de vagas disponibilizada mensalmente é adequada ao número de pacientes que precisam do serviço e a triagem é realizada diariamente, de segunda a sexta-feira.

Assim, não há paciente adulto com sequela neurológica recente (menor que seis meses) em fila de espera para reabilitação.

Para adequar o número de vagas, a equipe avaliou dados de anos anteriores, treinou as equipes e implantou a triagem multidisciplinar.

Também é realizado um monitoramento diário das solicitações feitas pela rede municipal.

Mensalmente, são disponibilizadas 170 novas vagas de triagem.

Em 2018, a média foi de 85 novos pacientes a cada mês.

O encaminhamento para triagem no CER é realizado via UBS, que é a principal porta de entrada do usuário para o Sistema Único de Saúde (SUS).

O atendimento de fisioterapia motora para casos como dores crônicas, artrose e artrite também passam pela triagem no CER e são direcionadas à Santa Casa de Diadema.

Na instituição, são atendidas 450 pessoas por mês.

Serviço:

Centro Especializado em Reabilitação

Local: Centro de Especialidades Quarteirão da Saúde. Avenida Antônio Piranga, 700 – Centro.

Atendimento somente após encaminhamento da Unidade Básica de Saúde.

 

Foto: Thiago Benedetti/PMD

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA