Pela 3ª vez seguida SP registra queda de mortes por coronavírus

0
414

O Governador João Doria confirmou em coletiva nesta segunda-feira (13/07/20) mais uma queda, pela terceira semana consecutiva, no número de mortes pelo novo coronavírus no Estado de São Paulo.

A menor taxa de letalidade por COVID-19 da série histórica também foi registrada em SP, com 4,8% nesta segunda – no início de maio, chegou a 8,6%.

“São boas notícias, mas que devem ser celebradas com muita moderação e muita solidariedade e nos colocar no foco das medidas de controle da pandemia e do atendimento de saúde. Não é hora de festejar ou sair para comemorar. É hora para estarmos concentrados, seguindo orientação da saúde e orando pela redução, como tem acontecido nas últimas três semanas, do número de óbitos em São Paulo”, afirmou o governador.

Na última semana, houve 27 óbitos a menos em comparação à semana anterior – foram registrados 1.706 vítimas entre os dias 5 e 11 de julho, contra 1.733 entre 28 de junho e 4 de julho.

A redução tem sido observada de maneira constante nas últimas semanas.

Entre os dias 14 e 20 de junho, o número de óbitos foi de 1.913 óbitos; na semana seguinte, de 21 a 27 de junho, foram 1.769, uma diferença de 144 mortes.

No decorrer da pandemia, o estado tem um número acumulado de 374.607 casos confirmados e 17.907 óbitos referentes ao novo coronavírus. Dos 645 municípios, houve pelo menos uma pessoa infectada em 633 cidades, sendo 412 com um ou mais óbitos.

Do total de casos diagnosticados de COVID-19, 230.680 pessoas estão recuperadas, sendo que 53.693 foram internadas e tiveram alta hospitalar.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 64,7% na Grande São Paulo e 66,1% no Estado.

O número de pacientes internados é de 14.059, sendo 8.393 em enfermaria e 5.666 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 10h30 da manhã de hoje.

Perfil da mortalidade

Entre as vítimas fatais, 10.353 são homens e 7.554 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 74,7% das mortes.

Em relação à faixa etária, a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (4.368), seguida pelas faixas de 60 a 69 anos (4.195) e 80 e 89 anos (3.578).

Entre as demais faixas, estão: os menores de 10 anos (23), 10 a 19 anos (34), 20 a 29 anos (145), 30 a 39 anos (595), 40 a 49 anos (1.244), 50 a 59 anos (2.493) e maiores de 90 anos (1.232).

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (58,5% dos óbitos), diabetes mellitus (43,3%), doenças neurológicas (11%) e renal (9,8%), pneumopatia (8,3%).

Outros fatores identificados são obesidade (7%), imunodepressão (6,1%), asma (3,1%), doenças hepáticas (2,1%) e hematológica (1,9%), Síndrome de Down (0,5%), puerpério (0,1%) e gestação (0,1%).

Esses fatores de risco foram identificados em 14.349 pessoas que faleceram por COVID-19 (80,1%).

Perfil dos casos

Entre as pessoas que já tiveram confirmação para o novo coronavírus, estão 176.963 homens e 197.378 mulheres.

A faixa etária que mais concentra casos é a de 30 a 39 anos (90.990), seguida pelas faixas de 40 a 49 (81.651), 50 a 59 (58.198), 20 a 29 (57.125), 60 a 69 (34.754), 70 a 79 (18.724), 10 a 19 (12.970), 80 a 89 (9.965), menores de 10 anos (7.167) e maiores de 90 (2.824).

A relação de casos e óbitos confirmados por cidade pode ser consultada em: www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus

 

 

VOLUNTÁRIOS

O Governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (13/07/20) o lançamento da plataforma, pelo Instituto Butantan, para a triagem de voluntários no estudo de eficácia e segurança da vacina contra o coronavírus.

A iniciativa é resultado de parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac Life Science, parte do grupo Sinovac Biotech. Poderão se candidatar profissionais de saúde que trabalhem no atendimento a pacientes com COVID-19.

“Essa é uma semana muito importante em duas frentes do combate à pandemia. A frente do desenvolvimento da vacina, que representa a grande esperança para milhões de brasileiros e também para não brasileiros. E a frente da abertura gradual e segura com o Plano São Paulo”, disse Doria

Os testes serão realizados em cinco estados e no Distrito Federal.

Por meio do portal www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/vacina, será possível acessar a plataforma de triagem para saber se o candidato corresponde aos critérios de recrutamento.

O cadastramento nos centros de pesquisa participantes começa a partir desta terça-feira (14/07/20).

A nova plataforma permite que o voluntário interessado responda a algumas perguntas iniciais para saber se tem o perfil necessário para participar dos testes.

Após esta etapa, serão informados os endereços dos centros de pesquisa que devem ser procurados para, enfim, iniciarem todos os processos necessários para confirmar a participação.

Cada centro ficará responsável pelas informações coletadas dos voluntários, que serão sigilosas.

Dentre os critérios para a seleção dos voluntários, estão também não ter sofrido infecção provocada pelo novo coronavírus, não ter participado de outros estudos e as mulheres não poderão estar grávidas ou estarem planejando uma gravidez nos próximos três meses.

Outra restrição é não ter doenças instáveis ou que precisem de medicações que alterem a resposta imune.

O processo de testagem se inicia em 20 de julho nos centros de pesquisa.

Na capital paulista, são três centros selecionados: o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), o Instituto de Infectologia Emílio Ribas e o Hospital Israelita Albert Einstein. Ainda no Estado de São Paulo, participarão a Universidade Municipal de São Caetano, o Hospital das Clínicas da Unicamp (Campinas), a Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto e o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto.

As pesquisas serão realizadas, ainda, na Universidade de Brasília (UnB); no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio de Janeiro; no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da Universidade Federal de Minas Gerais; no Hospital São Lucas da PUC do Rio Grande do Sul e no Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná.

 

Foto: Governo SP

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA