Guarda Ambiental de SBC ganha nova sede

0
238

O prefeito Orlando Morando realizou, na tarde desta terça-feira (11/08/20), a entrega oficial da nova base da Guarda Ambiental de São Bernardo.

O prédio, localizado na Estrada Caminho do Mar, no Riacho Grande, recebeu melhorias estruturais, como adequação de ambientes, pintura e consertos diversos para melhor acomodar os 38 agentes que atuam no combate aos crimes contra o meio ambiente da cidade.

Na mesma data, o chefe do Executivo acompanhou a soltura de um gavião-pombo, que é uma espécie com risco de extinção, e de uma coruja-orelhuda na natureza, após trabalho de recuperação feito pelas equipes do Zoológico do Parque do Estoril.

Durante cerimônia de inauguração, realizada de acordo com os novos protocolos sanitários – com poucas autoridades, respeitando o espaçamento social, uso de máscaras e de álcool em gel –, o prefeito destacou a preocupação com o bem-estar dos profissionais da GCM. “Nossa Guarda Ambiental realiza um trabalho essencial para a preservação da nossa cidade, que tem mais da metade do seu território em área de proteção. Nada mais justo que eles tenham um espaço digno para continuarem atuando no combate ao desmatamento, pesca e caça ilegal e crimes contra nossos mananciais”, diz.

Localizado em espaço cedido pela Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae), onde funcionava o antigo Clube de Regatas Lauro Gomes, a nova sede da Guarda Ambiental foi revitalizada pelos próprios guardas-municipais, com material cedido pela administração municipal.

A Guarda Ambiental de São Bernardo conta com efetivo total de 38 agentes, divididos em quatro turnos, em um trabalho que se desenvolve 24 horas por dia, todos os dias da semana. O número telefônico para dúvidas ou denúncias é o 4101-6807.

TRABALHO – No período de janeiro a julho de 2020, a Guarda Ambiental de São Bernardo realizou o atendimento de 880 ocorrências envolvendo crimes ambientais, totalizando R$ 758,9 mil em autuações.

No total, 62 animais foram resgatados em ações de combate à criação e caça irregular.

Também foram apreendidos 23 veículos, após denúncias de movimentação de terra, transporte e descarte irregular de resíduos, além de três balões, cinco barcos, 10 mil metros de rede e 225 tarrafas usadas para pesca irregular.

FISCALIZAÇÃO – Desde 2017, a Prefeitura mantém ação permanente de fiscalização nas áreas de manancial e, no fim de julho, intensificou o trabalho com a criação do Programa de Fiscalização e Combate ao Desmatamento e Crimes Contra a Fauna e a Flora na região do pós-balsa.

Trata-se de ação conjunta entre as forças de segurança, habitação e meio ambiente para evitar construções e descartes irregulares, supressão de vegetação, caça e pesca predatória no local.

DEVOLUÇÃO DE ANIMAIS À NATUREZA – Na tarde desta terça-feira (11/08), o prefeito Orlando Morando acompanhou uma ação de soltura de um gavião-pombo (Amadonastur larcenulatus), que foi resgatado em área urbana, numa linha de trem.

A ave silvestre, uma espécie natural da Mata Atlântica e com risco de extinção, chegou ao Zoológico de São Bernardo no dia 14 de julho com fratura no antebraço da asa direita, debilitada e desidratada.

Depois de passar por cirurgia para recuperação da asa e processo de reabilitação, o animal está apto a voltar para seu habitat natural.

“Esse é um animal adulto, relativamente pequeno, com envergadura de cerca de um metro de comprimento, e que pesa um quilo. Essa ave vive em áreas mais fechadas da floresta e é muito rara sua aparição, tanto que está em risco de extinção na natureza”, observa o veterinário do Zoo do Estoril, Marcelo da Silva Gomes.

Outro animal que pôde retornar à natureza após passar por reabilitação no Zoo do Estoril foi uma coruja-orelhuda (Pseudoscops clamator).

A ave chegou ao local com ferimentos oriundos de linha de pipa com cerol. “Infelizmente é um acidente comum. A irresponsabilidade de alguns acaba prejudicando os animais silvestres”, ressalta Gomes.

O Zoológico Municipal de São Bernardo encontra-se fechado durante a pandemia.

O local conta com mais de 700 exemplares, de 75 espécies diferentes da Mata Atlântica, acolhidos nos mais de 373 mil metros quadrados de área livre. É certificado pelo IBAMA e está localizado dentro do Parque Estoril, junto à Rua Portugal, nº 1.100, no Riacho Grande.

 

Fotos: Omar Matsumoto/PMSBC

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA