Caps AD de SA começa a atender em novo endereço nesta 2ª

0
181

A Prefeitura de Santo André entregou nesta quinta-feira (2/07/20) as novas instalações do Caps AD (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas), por meio do programa Qualisaúde.

Localizado em um prédio de quatro andares, na rua Venezuela, 91, no Centro, o equipamento oferecerá cuidado 24 horas, todos os dias da semana (incluindo feriados), para pessoas em crise.

Na unidade também serão realizados acolhimentos de saúde mental para usuários e  familiares com sofrimento psíquico decorrentes do uso de álcool e drogas (lícitas e ilícitas), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h .

O prefeito Paulo Serra acompanhou a entrega e falou sobre a importância do espaço para a transformação da vida das pessoas. “Este equipamento tem uma questão muito especial quando falamos em cuidar da nossa gente. Ele não é apenas mais confortável e melhor localizado, ele aumenta também a nossa capacidade de atendimento. Quando falamos em cuidar das pessoas, todas as políticas públicas devem ser voltadas justamente para transformar a vida da população para melhor. Em um Caps AD isso tem uma influência ainda mais importante na transformação da vida dos munícipes”, destacou o prefeito.

Os atendimentos realizados no Caps AD, hoje feitos na rua Gertrudes de Lima, 488, passarão a ser realizados, a partir da próxima segunda-feira (6/07/20), no novo Caps AD inaugurado nesta quinta.

Com a mudança de endereço, haverá aumento no número de leitos de atenção à crise, passando dos atuais oito leitos para dez leitos, além de oferecer um espaço na enfermaria de observação para usuários com intoxicação leve.

No endereço anterior não havia esse espaço e os pacientes precisavam ser transferidos em ambulância para uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

“Estamos oferecendo, por exemplo, leitos para cuidar de crianças e adolescentes em uma eventual crise envolvendo drogas ou álcool, além de ampliação do número absoluto de atendimento. Eu não tenho dúvida que a nossa gente ganha muito com esse Caps, que a partir de segunda-feira iniciará o atendimento”, completou o prefeito Paulo Serra.

O espaço também terá a instalação de um leito para acolhimento integral 24 horas em situações de crise de crianças e adolescentes, decorrentes do uso de álcool, crack e outras drogas.

A iniciativa é inédita no município.

Segundo o secretário de saúde, Márcio Chaves, em Santo André há um grande esforço para a ampliação e fortalecimento da Rede de Atenção Psicossocial. “Apesar de tudo que está acontecendo no mundo, não podemos deixar de celebrar a vida. A questão da saúde mental é um dos temas que sempre vai ser tratado de forma extremamente difícil porque muitos segmentos não entendem que a questão da saúde mental também é a base da vida. Infelizmente ainda vivemos um debate sobre a eficácia e a eficiência das políticas voltadas para a questão comportamental”, explicou.

O Caps AD possui em suas instalações recepção, sala de espera, farmácia, elevador, duas salas de acolhimento, espaço de convivência, posto de enfermagem, um dormitório masculino, dois dormitórios femininos, salas de grupo, dois consultórios e sala de oficina terapêutica, distribuídos em quatro andares.

“Esse equipamento funcionava na rua Gertrudes de Lima, era um espaço bastante obsoleto. Trazer o atendimento para este local, com novas soluções, com certeza é oferecer para os usuários do SUS e para os nossos profissionais um espaço adequado e confortável. É também mais um passo do programa Qualisaúde no sentido de entregar um equipamento preparado para oferecer à nossa população dignidade e um melhor atendimento”, afirmou o secretário de Saúde, Márcio Chaves.

A coordenadora de saúde mental, Marinês Oliveira, falou sobre os preconceitos e conceitos equivocados que ainda cercam o tema da saúde mental. “Apesar de a saúde mental ser um tema transversal, pois ele chega desde a Unidade Básica de Saúde ao hospital, ainda há uma ideia equivocada de que o urgente é tratado no hospital, porque lá as pessoas morrem, mas as pessoas também morrem se não receberem atendimento em saúde mental, algo que é perceptível com o alto índice de suicídio que temos no mundo”, comentou.

“O investimento que estamos fazendo é para, cada vez mais, desconstruir a ideia de que saúde mental é limitada e apenas tratada com atendimento psiquiátrico e psicológico. É por isso que o Caps é fundamental e um pilar importante para o sujeito. Hoje o nosso trabalho para dentro é cuidar realmente dessa crise, para além do atendimento psiquiátrico e psicoterapia. Aqui temos sala de acolhimento, sala de grupo, oficina terapêutica, necessárias para dar atendimento de qualidade ao usuário e, para fora, desconstruir a visão distorcida e preconceituosa dos temas da loucura e das drogas”, finalizou Marinês Oliveira.

Serviço – Em 2019, o Caps AD realizou mais de 12 mil ações de cuidados, sendo 320 procedimentos de atenção à crise e 2.464 acolhimentos noturnos (internação) às pessoas com sofrimento psíquico grave, decorrentes do uso de drogas.

Além disso, cerca de 529 usuários receberam cuidado mensal, através de grupos, oficinas terapêuticas, práticas corporais e atividades externas.

Foram realizados também 3.059 atendimentos na modalidade individual ou em grupos aos familiares desses usuários.

 

 

Fotos: Angelo Baima/PSA

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA