Serra: “Se não existisse dívida, concessão da água para Sabesp não seria necessária”

0
183

Em entrevista exclusiva ao comunicador Ricardo Leite no programa Bom Dia ABC desta terça-feira (14/05/19), o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), afirmou que se não existisse a dívida de R$ 3,4 bilhões não seria necessária fazer a concessão com a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo).

O chefe do Executivo andreense explicou que o Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) não deixará de existir com a negociação.

Apenas o serviço de água e esgoto serão compartilhados com a empresa paulista.

Outros programas como o Moeda Verde, varrição, coleta seletiva, combate às enchentes e asfaltamento de vias vão continuar sendo prestados pela autarquia municipal.

Além disso, o prefeito tranquilizou os funcionários que estão preocupados com o futuro.

Segundo Serra, o Programa de Demissão Voluntária citado no projeto entregue ao Legislativo é opcional para quem não deseja a transferência.

A própria Sabesp deverá absorver os funcionários que já trabalham aqui e a administração também poderá remanejá-los conforme a função.

O prefeito disse também que os pedidos de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) na Câmara não preocupam, mas é favorável que a investigação seja feita desde a primeira gestão de Celso Daniel, no início dos anos 90, quando teve origem a dívida.

Ele identificou três grupos formadores de opiniões, seja a favor ou contra: a primeira, pela falta de informação do projeto; a segunda, envolve os esquerdistas: e a terceira, os oportunistas eletivos que não admitem nenhum tipo de abertura e não apontam uma solução.

Serra está preocupado também com os precatórios, sendo que a Cidade já paga R$ 400 milhões e poderá ter mais R$ 1 bilhão convertido nos próximos dias, passando a totalizar R$ 2,7 bilhões.

Ouça a entrevista na íntegra:

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA