Prefeitos pressionam e ABC deverá ter reabertura parcial da economia

0
454

Ao tomar conhecimento de que o ABC ficou de fora da flexibilização da quarentena a partir de segunda-feira (1/06/20) e a Capital passou para uma fase mais branda, os prefeitos da região ficaram indignados com a decisão do governador João Dória e solicitaram urgente uma reunião com o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

O encontro ocorreu na noite desta quinta-feira (28/05/20) no Palácio dos Bandeirantes, ocasião em que apresentaram um pedido de reconsideração da flexibilização da quarentena.

Pressionado, nesta sexta-feira (29/05/20), o governador anunciou a mudança na divisão do Plano São Paulo, e as cidades do ABC poderão passar da classificação vermelha (restrição máxima) para a laranja (restrição um pouco mais moderada), que tem a reabertura de mais alguns setores da economia.

Poderão abrir o comércio de rua, concessionárias, escritórios, imobiliárias e shoppings, desde que sejam obedecidas medidas como disponibilização do álcool gel, uso de máscaras, e distanciamento de 1,5 metro a dois metros.

O principal critério nessa fase de cores é a capacidade de leitos disponíveis a cada 100 mil habitantes.

A Região Metropolitana de São Paulo abrange 38 cidades mais a capital.

Os municípios da região integram a região Sudeste/ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Até terça-feira será feita a primeira aferição de dados destas cinco regiões, e os resultados serão divulgados na próxima quarta-feira.

Dória anunciou também que a partir de segunda-feira as 59 unidades do Bom Prato servirão refeições gratuitas para beneficiar os moradores de rua e aqueles em situação de vulnerabidade.

O Estado está investindo R$ 2 milhões neste programa

A secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Célia Parnes, afirmou que 15 mil pessoas previamente cadastradas pelos municípios, receberão um cartão que poderão usar para essas refeições gratuitas pelo período de  60 dias,  até 31 de julho.

 

 

Foto: Governo SP

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA