Governo federal reajusta aposentadorias e benefícios acima do mínimo em 4,48%

0
99

O salário mínimo que entrou em vigor no dia 1º de janeiro vai aumentar R$ 6, passando de R$ 1.039 para R$ 1.045.

O valor calculado inicialmente para este ano se baseou numa previsão de inflação que acabou sendo superada.

O mínimo teve aumento de 4,1%, enquanto a inflação medida pelo INPC, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, subiu 4,48%.

A diferença poderia reduzir o poder de compra do brasileiro.

Nesta terça-feira (14/01/20), o presidente Jair Bolsonaro se reuniu duas vezes com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Uma no Palácio do Planalto e outra no Ministério da Economia, onde eles anunciaram a correção do valor.

Bolsonaro atribuiu a alta da inflação além do previsto ao aumento no preço da carne.

No ano passado, o salário mínimo era de R$ 998.

Durante a discussão sobre o orçamento da União, no Congresso Nacional, foi para R$ 1.039, caiu para R$ 1.031 e voltou a R$ 1.039.

O novo valor, de R$ 1.045, representa R$ 2 acima dos 4,48% referentes ao INPC acumulado em 2019.

O ministro Paulo Guedes explicou que esses R$ 2 acima da inflação servem para compensar um erro do ano passado.

Também devido à diferença no cálculo da inflação, o mínimo tinha ficado exatamente R$ 2 abaixo do valor ideal.

Guedes estimou que o reajuste vai custar R$ 2,3 bilhões a mais. E afirmou que o governo já tem de onde tirar esses recursos.

O salário mínimo de R$ 1.045 será instituído por medida provisória e deve entrar em vigor no 1º de fevereiro.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA