De novo, SBC e Ribeirão Pires suspendem vacinação contra gripe

0
258

A vacinação contra a gripe , que começou na última segunda-feira (23/03/20), está normal em cidades como Santo André e Mauá, nesta quinta-feira (26/03/20).

Mas, a segunda remessa que chegou na quarta-feira (25/03/20) já acabou em São Bernardo e Ribeirão Pires.

 

SÃO BERNARDO

A primeira fase da Campanha Nacional conta a Influenza, iniciada na segunda-feira (23/03/20) pela Prefeitura de São Bernardo, já imunizou 62,4 mil pessoas, ou seja, mais da metade do público-alvo estipulado pelo Ministério da Saúde (idosos e profissionais da Saúde).

Devido à alta adesão, a Prefeitura aguardará nova reposição das vacinas para dar prosseguimento à campanha, realizada de forma inédita em 33 escolas e em quatro pontos da cidade no formato ‘Drive Thru’.

Somente no primeiro dia de campanha, a Prefeitura de São Bernardo vacinou 33 mil pessoas contra a Influenza.

A aplicação precisou ser suspensa na terça-feira (24/03) e foi retomada um dia depois, após o recebimento de mais doses por parte do Ministério da Saúde.

Outros 29,4 mil moradores receberam a proteção contra a gripe nesta quarta-feira (25/03/20), sendo 22,9 mil nas unidades de ensino (das 8h às 17h) e 6,5 mil nos ‘Drive Thru’ (das 9h às 16h).

DESCENTRALIZAÇÃO – A estratégia do Prefeito Orlando Morando de descentralizar a aplicação das vacinas tem como objetivo evitar a aglomeração de pessoas nas 34 Unidades Básicas de Saúde, em especial de idosos, que se enquadram no grupo de risco para o Coronavírus (COVID-19).

O município conta com 78.881 idosos e 24.710 funcionários da Saúde, o que soma 103.591 pessoas como público-alvo desta primeira etapa de vacinação.

Apesar da boa adesão dos munícipes nesta primeira fase de vacinação, estrutura especial montada pela Prefeitura evitou longas esperas e aglomeração de pessoas.

Os moradores foram organizados em filas com distância mínima de dois metros entre eles. As tendas de imunização foram montadas nas quadras das escolas, ao ar livre, para evitar qualquer contaminação pelo COVID-19.

PRÓXIMAS FASES – A segunda etapa da campanha terá início no dia 16 de abril e terá como alvo professores de escolas públicas e privadas, além de profissionais das forças de segurança e salvamento, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

Está prevista para sábado (09/05/20) ‘Dia D de Mobilização Nacional’, data em que terá início a terceira fase de vacinação, destinada a crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas, povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, adultos de 55 a 59 anos de idade e deficientes.

A campanha se estenderá até 22 de maio.

 

Foto: Gabriel Inamine/PMSBC

 

RIBEIRÃO PIRES

O segundo dia de vacinação contra a influenza registrou grande adesão dos moradores de Ribeirão Pires.

Nessa quarta-feira, dia 25, as 5.700 doses enviadas ao município pelo Ministério da Saúde, por meio do Governo do Estado, foram aplicadas entre idosos (acima de 60 anos) e profissionais da saúde.

A Prefeitura suspenderá temporariamente a imunização e já solicitou envio de mais vacinas ao Ministério da Saúde.

A campanha teve início nessa segunda-feira, dia 23 (paralisada no dia 24/03 por falta de doses).

A Prefeitura adotou esquema especial para vacinar os moradores que integram o público-alvo dessa etapa – idosos e profissionais da saúde.

Medidas de segurança e higiene foram tomadas contra o coronavírus em todos os postos de vacinação.

A Prefeitura criou, ainda, sistema “drive-thru” de imunização no Complexo Ayrton Senna, para que a população seja vacinada sem sair do carro.

No primeiro dia de vacinação, as 5 mil doses recebidas pelo município foram utilizadas. Ribeirão Pires imunizou, portanto, 10.700 pessoas dos grupos prioritários dessa etapa da vacinação.

A meta estimada de imunização é de 12.515 idosos e 3.661 profissionais da saúde.

Assim que mais doses forem recebidas, a Prefeitura anunciará a retomada da campanha. Além do “drive-thru”, a imunização está sendo realizada em nove Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e Unidades de Saúde da Família (USFs). A única exceção será a UBS Central.

Por questões de segurança, dentro das medidas de combate ao coronavírus, as doses da vacina para essa unidade estão sendo aplicadas na Câmara Municipal da cidade.

Em todas as unidades de saúde, separadores de fila estão sendo utilizados para manter distância de segurança entre as pessoas.

A entrada na unidade para a aplicação da vacina é controlada – número restrito de pessoas por vez dentro do ponto de vacinação.

As orientações de higiene e segurança adotadas pela Prefeitura para o combate ao coronavírus foram intensificadas para a realização da campanha.

Para a vacinação, o idoso ou profissional da saúde deve apresentar carteirinha de vacinação e documento de identidade com foto (RG ou CNH).

A segunda etapa da campanha acontecerá a partir do dia 16 de abril, direcionadas para professores; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; forças de Segurança e Salvamento.

Os portadores de doença crônica poderão tomar a vacina somente com encaminhamento do médico.

A partir do dia 9 de maio começará a terceira etapa da Campanha, direcionada a crianças de 6 meses a 6 anos; gestantes; puérperas; povos indígenas, privados de liberdade adolescente e jovens sob medidas socioeducativas; funcionários do sistema prisional e adultos de 55 a 59 anos.

 

Foto: Divulgação

 

DÓRIA ANTECIPAÇÃO DA VACINA PARA POLICIAIS

O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira  a antecipação da vacinação de Influenza (gripe), a partir da próxima segunda-feira (30/03/20), para policiais militares, civis e profissionais do Corpo de Bombeiros.

A vacinação deste público estava prevista para começar no dia 16 de abril, mas foi adiantada dentro das estratégias de combate ao coronavírus (COVID-19) em São Paulo.

“Por recomendação do Centro de Contingência do Coronavírus, antecipamos a vacinação destes profissionais. Uma decisão amparada em medidas fundamentadas, assim como todas as iniciativas do Estado, com o objetivo de proteger a saúde e proteger vidas”, afirmou Doria.

A vacina contra a gripe não imuniza contra o novo coronavírus, mas a campanha é fundamental para reduzir o número de pessoas com sintomas respiratórios nos próximos meses.

“A antecipação para esse grupo é fundamental, pois eles estão na linha de frente da pandemia, junto com os profissionais de saúde. Nossa expectativa é imunizar cerca de 100 mil policiais em todo o Estado”, explicou o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann.

Nesta primeira etapa da campanha, também serão imunizados idosos com mais de 60 anos de idade e profissionais de saúde, totalizando 6,1 milhões de pessoas nessa etapa.

A partir do dia 16 de abril, serão vacinados os professores e pacientes com doenças crônicas, como asma, diabetes, doenças imunossupressoras e outras.

No dia 9 de maio, começa a terceira etapa, dirigida a gestantes, puérperas (com até 45 dias após o parto), crianças a partir de seis meses e menores de seis anos, povos indígenas e demais grupos prioritários, inclusive dois novos públicos inseridos a partir deste ano: os adultos de 55 a 59 anos e as pessoas com deficiência (física, auditiva, visual, intelectual e mental ou múltipla).

Na data de início dessa última etapa, também está previsto o “Dia D” de Mobilização Nacional, quando os postos deverão funcionar no sábado, das 8h às 17h.

A antecipação da campanha de vacinação é fruto de uma grande operação do Instituto Butantan, que acelerou a produção das 75 milhões de doses da vacina que serão fornecidas para a campanha nacional – a maior da história no Brasil, com ampliação de 13% em comparação ao quantitativo do ano passado.

A Secretaria de Estado da Saúde ampliou, em parceria com os municípios, os postos volantes de vacinação de Influenza (gripe), visando evitar aglomerações e assim prevenir a população contra a COVID-19.

Até o momento, o número de pontos de vacinação são cerca de 11,5 mil fixos e volantes, incluindo escolas, creches, farmácias, barcos, ônibus e veículos, de forma a alcançar o público-alvo em todas as regiões.

A pasta estadual também orientou os profissionais de saúde que trabalharão na campanha para que haja organização da fila e do ambiente.

Deverá ser feita uma triagem com identificação de sintomático respiratório – presença de febre, tosse, coriza e falta de ar. Se a pessoa tiver febre ou mau estado geral, deverá ser colocada máscara no paciente e adiada a vacina, com orientação para ida a um serviço de saúde.

Máscaras também deverão ser colocadas naqueles que apresentarem tosse ou coriza, mas nesses casos a dose poderá ser aplicada e, ainda assim, a pessoa será orientada para procurar um serviço de saúde.

As equipes deverão anotar as doses aplicadas, com mesas e distanciamento de pelo menos 1 metro entre o anotador e paciente.

Cada profissional deverá usar caneta própria e álcool, que deverá ficar disponível para uso.

O vacinador não precisa utilizar luvas nem máscara cirúrgica, apenas seguir as normas de higienização.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA