Bolsonaro critica médicos que omitem uso da cloroquina

0
312
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 20.03.2020 - JAIR-BOLSONARO: O presidente Jair Bolsonaro cumprimenta apoiadores e falam com jornalistas ao sair do Palácio da Alvorada, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

Através do Twitter, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o uso da hidroxicloroquina no tratamento do coronavírus.

Ele afirmou que sempre buscou “tratar da vida das pessoas em primeiro lugar”.

Bolsonaro disse que fez contato com dezenas de médicos e chefes de estados de outros países, que mostraram que o uso do medicamento tem se mostrado eficaz na luta contra a doença.

Entretanto, sem citar nomes, ele criticou a ação de dois médicos brasileiros que se recusam a dar informações sobre o método.

– Dois renomados médicos no Brasil se recusaram a divulgar o que os curou da Covid-19. Seriam questões políticas, já que um pertence a equipe do governador de São Paulo. Acredito que eles falem brevemente, pois esse segredo não combina com o Juramento de Hipócrates que fizeram. Que Deus ilumine esses dois profissionais, de modo que revelem para o mundo que existe um promissor remédio no Brasil.

O médico da equipe de João Doria a que Bolsonaro se refere é David Uip.

Coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, Uip não quis responder ao apresentador José Luiz Datena quando perguntado se ele fez uso da hidroxicloroquina.

O outro médico em questão é o cardiologista Roberto Kalil Filho, do Hospital Sírio-Libanês.

Na segunda-feira (6/09/20), ele foi entrevistado pela Jovem Pan e, ao ser questionado se havia usado o medicamento para se tratar da Covid-19, Kalil se limitou a dizer que tomou várias medicações.

Já nesta quarta (8/04/20), uma hora após a publicação do presidente, o médico revelou que fez uso da cloroquina e reforçou que, independente das ideologias, se há uma medicação que pode trazer benefícios, ela “tem que ser utilizada e ponto”.

 

Fonte: Pleno News

Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA